sábado, 10 de dezembro de 2011

PROFISSIONAL DE SAÚDE A MERCÊ DA OLIGARQUIA MÉDICA.

Nos dias atuais, o fisioterapeuta postural passa imensas dificuldades em exercer sua profissão como um verdadeiro profissional da saúde.
O atendimento fisioterapêutico domiciliar por exemplo, é uma realidade assim como o corredor de moto no trânsito de São Paulo. Mal regulamentado mantendo-o na obscuridade diante do conselho que somente cobra taxas anuais sem apoio para exercer o poder de comunicação sobre prevenção de doenças posturais perante a sociedade.

Por outro lado, essa e outras não-nomeadas funções domiciliares de um fisioterapeuta trazem uma riqueza em resultados terapeuticos que serveriam para imunizar a população contra diversas disfunções sistêmicas e dores posturais.

A atuação fisioterapeutica, sem suporte efetivo do conselho fica a mercê daquilo que o paciente acha que é certo, do ponto de vista financeiro e terapêutico.

O apoio real da sociedade ao fisioterapeuta e a regularização dos atendimentos posturais para essa classe proveniente da medicina, tão esmagada pelos planos de saúde, possa ser instituído como prática preventiva à população diretamente apoiada pelo Ministério da Saúde. Da mesma forma que no Japão o Shiatsu o é. O Shiatsu também descende da mediciana tradicional oriental.

Todos nós, fisioterapeutas sabemos. A anamnese corresponde 80% do diagnóstico. E o exame de imagem 20%. O que o médicos estão fazendo com a população brasileira? Esse é um assunto muito mais sujo e pesado que no momento pretendo não destrinchar.

A solução para este péssimo quadro clínico geral está na formação de Centros Culturais Esportivos que começam a surgir e com eles a tecnologia de equipamentos ergonômico-posturais ligados ao bem estar.

O mercado de bem estar gera mais de 120 bilhões por ano nos países do norte. O fisioterapeuta é o profissional melhor gabaritado para assumir essa responsabilidade de diagnosticar, orientar, tratar e encaminhar o paciente para os diversos profissionais de saúde, como médicos, psicólogos neurologistas, psiquiatras, ortopedista, endocrinologistas, pediatras, assim como para hospitais, além de estabelecer tratamento direto nos centros de cura.

Os recursos naturais de um spa e de um centro de meditação associado aos recursos inovadores de uma clínica fisioterapêutica é o que se terá num futuro próximo.

E não há como ignorar este poder terapêutico de cura da fisioterapia postural nos pacientes crônicos, obesos, sedentários, os de meia idade e os acima dos 78 anos.
Os médicos não podem suprir a demanda de pacientes somente medicando e intervindo com cirurgias.
Disto estamos todos cansados, como cidadãos.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

tudo é questão de prática.

Não espreguiçar soa para os ouvidos atentos à saúde da postura como um enfraquecimento das artérias e vasos sanguíneos. Soa porque ouvir um espreguiçar é uma habilidade terapêutica sutil do fisioterapeuta clínico postural. A saúde dos órgãos e dos músculos estão em jogo quando este maravilhoso hábito desaparece da vida de uma pessoa.

A falta de espreguiçamento causa deficiência em proteger o organismo contra fungos e bactérias.
Um sintoma comum naqueles indivíduos com má postura devido ao sedentarismo. Um outro malefício está na condição das mucosas e esfincteres que com a falta de circulação e movimentação adequadas desabrocham aftas, hemorroidas, incontinências, flacidezes. Encurtamentos musculares seguidos de fraqueza cardíaca levam fatalmente à perda de motilidade dos intestinos.

O hábito de espreguiçar deve ser praticado nos três períodos do dia antes das refeições.
Eu aprendi isso e o transferi para outros diversos momentos inclusive durante os exercícios posturais de yoga, nos àsanas. Compartilhei essa prática pessoal com alunos e pacientes que tiveram empatia pela prática, cujo nome intitulei de Exercícios de Alquimia Postural. Os exercícios sicronizam a respiração com alongamentos e torções que partem da posição em pé para a de joelhos.

As alternâncias de expirações e inspirações em tempos contados pelos batimentos cardíacos são mais uma das diversas sensibilidades adquiridas naturalmente pela prática.

O espreguiçamento aguça os sentidos e melhora a postura, o que responde positivamente à necessidade do corpo físico em circular o sangue pelos diversos caminhos do tronco encefálico e do cérebro. Corpo, Respiração e Cérebro. Sistemas, diafragmas e nervos. Tudo é uma questão de prática.

sábado, 3 de dezembro de 2011

O DESAFIO POSTURAL NO HÁBITO ALIMENTAR

O desafio postural no hábito alimentar está nas papilas gustativas viciadas em algum tipo de elemento alimentício.


Gostar de certos sabores em excesso são a principal dificuldade na mudança de hábito alimentar.


Assim como as estações mudam a cada ciclo, os hábitos alimentares também mudam ao longo das estações.


O excesso de sal, açúcar, o uso diário de embutidos, além do costume de se alimentar em excesso depois das 21h. Estes e outros hábitos ao longo dos anos se tornam nocivos à saúde, o que faz aparecerem doenças como esofagite, hérnias umbilicais e inguinais, dores nas costas, hérnias discais, escolioses, cefaleias crônicas.


Bruxismo, tendinopatias e bursites são consequências crônicas da condição postural do sistema gastro intestinal.
O sistema constipado afeta os músculos e articulação que sofrem com todo o tipo de influência:

  • Influência no sobre peso;
  • Na pressão do abdome dilatado;
  • No fígado intoxicado;
  • No Baço sobrecarregado e sujo;
  • Nos intestinos desrregulados;
  • Na posição dos órgãos e alterações de cinturas;
  • No centro de gravidade;
  • Nas noites mal dormidas;
  • Na falta de atividade física.

Enfim, o gasto de energia para o organismo manter-se vivo supera a produção de energia das células como um todo.
A mudança dos hábitos alimentares é também um desafio postural.
E lembre-se, quando pensar em tomar um medicamento para a dor intoxicando mais ainda seu organismo, Consulte antes um fisioterapeuta clínico postural.