quinta-feira, 26 de maio de 2011

REFLEXÃO SOBRE O CORAÇÃO

No coração humano existe uma estrutura muito intrigante chamada de nó sinusal, ou nó atrial-ventricular.

Sua natureza neuro-fisiológica é de ser um marca passo para todas as células auto excitáveis do músculo cardíaco. O nó sinusal orienta a pausa e a contração numa verdadeira respiração cardíaca.

Uma curiosidade é de que não há para o nó sinusal uma correspondência cerebral como há para todas as outras partes e funções do corpo humano. Como se ele fosse uma estrutura independente das funções cerebrais.

Por outro lado, o intrigante desta história é saber que dos dez mil neurônios que viajam do cérebro ao coração, diretamente ao nó sinusal enviam e recebem  informações do sistema autônomo independente das descargas de emoção e de pensamento.

Ainda não se sabe a origem das emoções muito menos do pensamento. No entanto descargas bioeletroquímicas dos neurotransmissores são a comprovação de que eles existem! 
Chega a ser até hilário tudo isso...porque o fato de existir uma estrutura que gera sua própria bioeletricidade sem ajuda do cérebro é algo de se duvidar.

O cérebro é considerado o mais importante órgão do corpo humano. 
Na contra mão deste pensamento, a medicina chinesa demonstra que o pensamento nasce do coração. 
O problema é que esta demonstração é empírica e depende de prática diária.

Segundo os yogues, exímios praticantes de todos os aspectos do movimento do corpo inclusive do movimento denominado de corpo sutil, eles descobriram um pequenino chacra dois dedos acima do mamilo esquerdo. Este ponto coincide com a posição do nó sinusal. Talvez essa seja a explicação para uma geração espontênea de bioeletricidade do nó sinusal.

Outra possibilidade, que eu particularmente acho mais concreta, é de que o nó sinusal, de alguma maneira tem uma ligação direta com o centro da gravidade Terrestre. Que por sua vez se afina com o centro da gravidade Solar. Que por sua vez possue afinidade com o centro de gravidade Galáctico.

Tive a oportunidade de vivenciar esta prática meditativa do nó sinusal, ou melhor dizendo do chacrazinho cardíaco. A sensação de expansão mental é incomparável. Ao mesmo tempo o silêncio que brota da atividade cardíaca é estrondosamente ensurdecedora. Não há barulho algum fora que possa te tirar do centro de concentração deste exercício meditativo.

Bem, tenho compartilhado experiências como estas com amigos  ao longo destes anos e tenho notado um certo vazio no feedback das conversas. Percebi que não é comum em nosso meio experiências meditativas, muito menos o compartilhar do abstrato. Mas a sensação desta prática nos induz a pensar que somos realmente imortais no corpo humano. 

Pois é, é exatamente isso que se passa: parece que o abstrato é algo real, e palpável. Principalmente se falando de coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário