quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

O MEDO DA DOR

Como tenho feito nos outros textos deste blog, procuro escrever aqui de modo sucinto, mas com uma certa delicadeza no trato.
O medo é uma emoção. Emoção que se sente no corpo todo, porém ela se manifesta na região dos rins. Os rins assim como as orelhas e os pés têm formato de semente. Estes são os "órgãos" do instinto. E o medo é a emoção que dá movimento a estes aparelhos.
Tudo isso é natural.
Por outro lado existe o medo de sentir medo.
Isto ocorre pelo fato do medo gerar certas dores no corpo.
O medo de sentir medo é na verdade o medo de sentir dor.
Tanto são os medos. Uma vez compreendi que aquela aceitação e reconhecimento que geralmente se busca na profissão ou na vida pessoal é um medo de solidão.

Aprendi desde criança de que nunca estamos sozinhos e a maior testemunha de nossas ações é a terra na qual pisamos. Alguns a chamam de A Mãe Terra. Gaia, por assim dizer. Ou simplesmente A Mãe.
Saber que sempre a temos do nosso lado, ou melhor, dentro do coração, é saber também que todo e qualquer medo pode ser superado. Assim como a dor.

Aprendi também a controlar o medo do medo. As dores geradas pelas fantasias ou covardias da mente em superar os medos dos medos são facilmente anuladas quando a atenção se volta para a concentração da respiração.
Respirar alivia mesmo o medo, e conseqüentemente a dor quando esta é fruto do próprio pensamento de baixo auto estima e arrependimento.
Esta é minha missão como fisioterapeuta: ajudar a respirar melhor e a ampliar as percepções de auto controle.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

TEORIA EXTRATERRESTRE


São tantos problemas e desentendimentos que o ser humano já não sabe mais voltar-se ao silêncio e reequilibrar.


Quando esquecemos que os processos conscientes da respiração são os mantenedores da vida nos desconectamos de nossa parcela terrestre. Tornamo-nos um extraterrestre de si mesmo.


Não parar para respirar ou reequilibrar o sistema denota um ser desconectado das Leis que regem os relacionamentos. Relacionar-se com si mesmo em momentos de solitude é relacionar-se com essa Lei da vida e do universo.

O dia-a-dia atribulado e atabalhoado pode não ser uma barreira para percepção de si se houver uma atenção concentrada em si mesmo na respiração. Uma prática constante de poucos minutos eleva o potencial da atenção concentrada o que elimina tendências nocivas à saúde do não auto conhecimento. É uma postura legítima para quem pretende assumir o papel de protagonista nas empreitadas da vida.
Somos agentes das dores ou da cura de nosso corpo. Também não estamos sozinhos no intrincado caos dos diversos caminhos da vida e da espiritualidade.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

ALÍVIO DE DORES DE COLUNA

Deitar-se sobre o chão duro e protegido do frio pode melhorar algumas dores de coluna.
Mas a maioria das dores exige uma ação expansiva e criativa do movimento.
Ao longo desses anos como fisioterapeuta da postura desenvolvi uma técnica bastante eficaz em diversos casos de dores de coluna, e nos casos mais atípicos tenho obtido bons resultados.
Chamei a técnica de FRP - fisioterapia de reequilíbrio postural. Uma sucessão de exercícios posturais que mesclam movimentos ativos, passivos e ativos assistidos com massagens e alongamentos. Porém nada disso surtiria o efeito desejado se durante a prática não houvesse um trabalho de ampliação da respiração. Por isso as massagens tem um toque terapêutico onde a imposição de mãos aumentam o potencial do paciente em respirar profundamente.

Espreguiçar e respirar são práticas de saúde gratuitas. Mas grande parte das pessoas não às pratica. Desse modo a coluna vertebral se desgasta por não expandir-se com a respiração e o espreguiçamento.
Nossa inspiração é sempre comprometida por fumaça, fuligem, ar seco, poluição.
Não há musculação que a sustente. Não há remédio que a cure. Somente a integração desses fatores pode curar uma coluna doente. O fisioterapeuta postural pode trilhar esses passos junto. Depende de abertura de quem deseja crescer.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

A CURIOSA VISÃO SOBRE POSTURA QUE PODE MANTER A SAÚDE DO CORPO.


Postura é tudo. E tudo é postura.
Se existe algo sem postura
Este algo é a propria postura.
                                  Ft. Dedé.

O estudo da postura no mundo vem tomando forma e pouco a pouco conquistando novos espaços nos centros urbanos. A necessidade de se aprender a ter uma coluna ereta faz o cidadão procurar meios de aprender movimentos que a princípio servem para saber lidar com o encomodo e o desconforto da dor.

Importante ressaltar que dentre os estudos de postura realizados em inúmeros e diversos locais e grupos de pessoas deste planeta, é de comum acordo que o pensamento interfere no movimento. 

A postura de um corpo reproduz os pensamentos. O pensamento cria a resistencia nos músculos lisos de tônus da postura para a fixação anti gravitacional, e para que se realize o movimento voluntário. Este tonus em "musclinhos" firmes e fortes transmitem o pensamento gestual da pelve, tronco, pescoço e cabeça.

Outra coisa que deve ser conhecida é saber como regular seu ciclo do sono. Baita postura esta. Tudo bem, não vou deixar o leitor sem conteúdo. O estudo analisa por aparelhos sensiveis modos de uso ou funcionamento de um cérebro em atividade. Esta atividade cria o caráter de uma pessoa (leia caráter como caracteristica individual) O caráter ou carecterística de uma pessoa possue aanalogia direta com os quatro modos cognitivos destinados à quatro àreas cerebrais de maior atividade cognitiva. Num certo horário do dia cada modo cognitivo têm um pico de energia metabólica chamado pico cognitivo dos impulsos cerebrais. 
Isso significa que a estrutura física, biológica difere em quatro tipos de metabolismos. Lembrar que são características e não tendências. Estes modos cognitivos são condutor, adaptadivo, estimulador e perceptivo e cada um possui seu ciclo de sono e vigília.

Condutor - dorme com sono. 
Além de oito horas por dia de sono pode cochilar uma hora num período qualquer do dia tendo assim seu pico cognitivo máximo por todo o período de vigilia.

Adaptativo - dorme 3h acorda ao 12h. 
Pessoa de hábitos noturnos tem seu pico cognitivo das 00h às 3h

Estimulador - dorme 22h acorda 7h.
Pico cognitivo às 15h

Perceptivo - dorme 21h acorda 6:30h. 
Pico cognitivo 9h

O bípede sofre os efeitos da gravidade sobre as atividades de uma ergonomia cotidiana que ameassa a saúde do corpo e os sentidos. A postura segue o pensamento, e segue também o paradigma social local e, dependendo das condições de vida do cidadão tensões posturais aparecem por todo o corpo como sintomas que  traduzem uma dor da mente em uma dor ou uma disfunção no corpo e na maioria das vezes uma dor física mesmo por baixas condição de sobrevivência. Saber lidar com sua própria postura é uma urgência na retomada da saúde em todos os níveis de consciência. Processo este que difere para cada pessoa individualmente.

Erguer a coluna e respirar profundo depende de você diariamente mexer seu corpo abrir o peito e ganhar musculos.  Algumas sugestões de hábitos de saúde da postura.

Espreguiçar e Suspirar

Estique-se espreguice ao inspirar.
Solte o ar duma vez! E relaxe todos os músculos.
De vez em quando crie o hábito de soltar ar com força dos músculos encolhendo barriga e abrindo o peito.
Inclua este método de respiração nos seus exercícios diários.

Mais alguns...
- Crie um ambiente relaxante e limpo. Habitue-se a praticar todos os dias de algum exercício que goste.
- Use roupas que deixem livres de tensões as cinturas, busto, do estomago e das ancas.
- Prepare o quarto para descansar. Crie ventilação confortável durante o sono.
- pratique meditação, respiração, relaxamentos ou algo que te faça entrar em ondas mentais alpha ou pré sono por no mínimo cinco minutos. 
- Crie afinidade com sua cozinha. Descubra em seus alimentos a gordura perfeita para sua digestão. Os alimentos produzem um efeito de jovialidade na pele e os elixires e bebidas que incluem alcoólicas criam uma circunstância de longevidade das células. 
Tome àgua com oxigênio livre reduzido.

A fisioterapia trata e a natureza cura.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

GENTILEZA GERA MAIS GENTILEZA

Alguns amigos "ilustres!" postaram no facebook e share esta campanha bacana:
Nos meus dias, cumprindo obrigações e compromissos, tenho pensado mais profundamente sobre o ato de ser gentil.

Bom, começa com o olhar e termina na impressão deixada.
À esta impressão procuro expressar no olhar o máximo de amor.

O brilho do olhar! Mais se assemelha ao som de Wanna be Staring' Sonthing' do Michel Jackson. Uh! Uma coisa que transmite muita alegria de ser um ser humano. De viver na Terra.

Quando volto para casa pelo jardim Monte Kemel, costumo passar mais rápido pelo trecho estreito da favela do Ferreira. Aquela coisa do estresse urbano em não querer ver a realidade nua à sua frente.
Bem, não foi o que fiz desta vez. Hoje bati os olhos com outros olhos do outro lado da rua e procurei deixar meu rastro de alegria pela vida. Segui com a memória do olhar daquele jovem. Desejei que o meu olhar tivesse transmitido o mesmo pensamento de contentamento pela vida em minha cabeça e em meu coração.
Acredito que esta gentileza sutil faça toda diferença. Porque o pensamento e a intenção do olhar são a primeira gentileza prestada.

Fiquei também sabendo que algumas pessoas acham vantagem em fingir gentileza no olhar, isso sem considerar o sorriso amarelo do cinismo. Ainda tô pra descobrir se essa vantagem tem algum motivo egoísta, porque todos os seres merecem conhecer o verdadeiro olhar de amor. Aquele olhar que conhece no fundo a capacidade de sentir o amor e manifestá-lo. A janela da alma não mente. O olhar sem brilho não tem tesão nenhum.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

QUE SAÚDE É A MINHA?

Um dia, alguma pessoa desavisada sobre minha pessoa, me perguntou com o tom árido, ríspido:
- ...mas e... qual é seu público alvo?
Putz, mas que pergunta difícil para um fisioterapeuta postural porque nessa profissão se pode trabalhar com o mais variado público, haja vista o corpo humano sofre independente da classe social.

Entretanto, alguns anos se passaram e eu obtive a resposta.
Não tem saída meu público alvo são pessoas de classe média, bem informadas, que acreditam num processo terapêutico que envolva os hábitos de auto cuidado.

O sexo e a idade continuam diversos. O que caracteriza o meu público é a disponibilidade e confiança de que cuidar da saúde é mais do que ter uma carteirinha de um plano de saúde. Contudo é exigido dessa clientela uma certa insensibilidade ao preço uma vez que o processo de formação de um profissional da saúde como o fisioterapeuta exige um investimento de estudo e materiais, de disponibilidade de tempo de altos custos.

Nada supera a experiência em lidar diretamente com o ser humano. Tocá-lo e sugerir o melhor caminho de práticas de ampliação da saúde para cada caso é uma prática artesanal..



quarta-feira, 27 de outubro de 2010

ALONGAMENTO DA RESPIRAÇÃO NO DESPORTO

Corrida, futebol, triatlon, bike, moto cross-country, carte. Muitos são os que utilizam do esporte de fim de semana como um meio de diminuir o estresse da semana.
E não são poucos os casos de lesões novas ou repetidas, agudas ou crônicas, ocorridas pelo despreparo postural em relação ao aporte respiratório adequado durante e após a prática esportiva.

Outra preocupação real e muito comum é a falta de associação de outras modalidades esportivas ao esporte principal. O nadador, por exemplo, complementa sua prática esportiva com exercícios posturais de solo: abdominais, barra e bicicleta indoor. Estas são práticas complementares indiscutíveis para quem pretende manter a forma e aprender a dosar os exercícios posturais antes e depois do treino. Porém ainda falta uma última prática, e não menos importante : a prática da respiração completa.

A respiração completa é outra forma complementar para a atividade física em geral, e é uma forma de prevenção de lesões do desporto, bem como na investida do atleta em superar limites.

Direcionar esse novo treinamento é uma tarefa árdua e atenta tanto para o esportista quanto para o fisioterapeuta. Esse é um nicho da fisioterapia chamada fisioterapia postural.

A Fisioterapia Postural é um processo emancipatório, tanto na prática de reorganização das cadeias neuromusculares, quanto para o reequilíbrio do coração e do tronco encefálico. Ela complementa os exercícios posturais porque seu treinamento inclue a respiração completa que previne uma série de possíveis lesões do desporto.

Isso ocorre de duas maneiras: uma, de modo a manter o corpo restaurado do treinamento esportivo; e outra que reequilibra o fluxo da água do organismo.

Procurando esclarecer: os exercícios posturais são programas de treinamentos voltados para a melhoria do endurance do atleta. O treinamento postural inclui a respiração completa como forma de movimentar o corpo. Ou seja, respirar fundo depende de autocontrole, o que envolve um conhecimento mais aprofundado dos órgãos internos. Não obstante, o conhecimento do funcionamento da mente.

Um exemplo disso é o relaxamento autógeno, que busca a consciência na transformação da saúde postural. O relaxamento autógeno é uma prática de autoconhecimento das funções e do sistema mente-corpo.

De acordo com uma corrente de pensadores da psicologia, existe um paralelismo pisco-fisiológico entre a mente e as funções autônomas do corpo. A mente desenvolve uma conexão direta com o corpo, forjando liberações de neurotransmissores, hormonios e movimentos músculo-esqueléticos.
Durante o esporte, a liberação de secreções glandulares e de neurotransmissores músculo-esqueléticos mantém uma taxa elevada de cortisol e adrenalina no sangue. Esta condição hemodinâmica retira a saúde de órgãos como o coração, os rins e os vasos sanguíneos.

O pensamento que flui pela mente exerce uma interferência direta na produção de substâncias endócrinas, desencadeadas à partir de uma alteração do padrão respiratório.

É o tipo de respiração também, que determina o aparecimento de uma emoção na amídala do sistema límbico. De onde vem a emoção? Do padrão respiratório que o pensamento, através da mente, potencializou em forma de fisiologia.

Aí está a grande sacada para um esportista de fim de semana, ou para um atleta competidor: a interação com o funcionamento autônomo através da respiração. Este é um treinamento postural que previne uma série de desequilíbrios e lesões do desporto. Pode ser realizado durante a execução dos exercícios posturais convencionais, e ministrado de modo personalizado para cada nicho esportivo. Mas em todos os casos a respiração é um meio seguro de se equilibrar e curar certas lesões.

Esse conhecimento é ouro para um atleta de todos os dias. Porque de nada adianta ser um atleta de ponta esquecendo-se do principal, o autoconhecimento.



domingo, 24 de outubro de 2010

POSTURA, ALONGAMENTO E RESPIRAÇÃO


Essa semana saiu na Folha Equilíbrio uma interessante reportagem sobre os benefícios ou não de se fazer alongamento. Na reportagem, além da visão de alongamento para prevenção e melhora ou não da performance de treinos de academia e corrida, a visão postural também foi levada em consideração.
Alongamentos, segundo a reportagem, são, em certos momentos, prejudiciais à saúde quando realizados sem consciência e autoconhecimento dos valores posturais envolvidos.
Por outro lado, em nenhum momento foi considerada a condição da respiração.
Sempre que se fala e pensa em alongamentos relaciona-se o tamanho adequado das fibras musculares e amplitude das articulações.
O que considero muito importante é o alongamento da respiração, tanto para a postura quanto para ampliação da saúde nas práticas fisioterapêuticas.
O alongamento é uma prática de reorganização postural onde há ampliação da respiração, equilíbrio das emoções, e conseqüente neutralização do estresse e da estafa.
Alongamentos são primordiais na elevação do estado de consciência porque é uma conversa que o praticante toma em relação as suas atitudes de bem estar corporal.
E atitudes de bem estar são muito particulares para cada indivíduo. Mas uma coisa é certa: ampliar a saúde é uma arte para toda a vida.

Ampliar a saúde depende de uma pratica personalizada, longe de padrões e prescrições. Depende exclusivamente de uma boa avaliação postural, traçar um diagnóstico diferenciado a partir de uma anamnese extensa e detalhada, que considere a sensibilidade do paciente e suas expectativas e temores.
Não existe receita pronta para atividade postural. Existe sim, comprometimento e entendimento dos processos biomecânicos, posturais e bioenergéticos da respiração.

sábado, 16 de outubro de 2010

A VIDA É CURTA. APROVEITE!

Aproveitar a vida de forma leviana e desordenada se torna cada vez mais comum e aceitável entre as pessoas. Por outro lado, enxergar a vida como uma oportunidade de amadurecimento e auto conhecimento é um caminho estreito, que poucos escolhem em trilhar. E os poucos que escolhem dificilmente conseguem assumir o ato de reconhecer a si mesmo no outro. Um desafio ainda maior.

Em todas as filosofias orientais, oriundas do Tantra e do Yoga, há uma decodificação desse comportamento humano em práticas individuais de amadurecimento da consciência.
Esta consciência madura enxerga outros níveis intelectuais e espirituais, incompreensíveis ao não praticante.

Este é o caminho da meditação: alcançar limites de compreensão cada vez mais elevados sobre a vida no universo humano, estelar e cósmico.

Nada a ver com religião. Mais a ver com ceticismo e estudo da meditação, do que somente devoção. Pois o meditador sabe da importância da devoção silenciosa, e entrega seu medo ao silêncio de sua própria alma. E assim segue em frente, porque confia em si mesmo.
A partir daí, ele ingressa num processo de ascensão da consciência com forma espiralada, vertical e de diâmetro cada vez mais largo a cada processo de ascensão.


video

ZONAS ERÓGENAS E AUTO CARÍCIAS

Este assunto não deveria estar ligado a tabu. Mas como está gostaria de passar outro ponto de vista.

Quando se fala em zonas erógenas consideram-se duas zonas distintas anatomicamente.

Uma chamada zona inespecífica, localizada por debaixo da camada de pêlos da pele. E a outra, chamada de zona específica, que inclui os genitais, prepúcio, clitóris, ânus, donde os terminais nervosos sobressaem e a sensação sexual é mais presente.

A atenção que quero dar a esse assunto é em relação a ampliação da saúde.

Deslizar as palmas das mãos na pele do tronco, virilha, bumbum e lombar, num momento nú do dia, melhora a respiração e o bem estar postural. Principalmente no ato de urinar ou evacuar.

Algumas excelentes práticas de hábitos posturais incluem as auto carícias. Dessa forma, todas as tensões da respiração, ao longo do tempo, são eliminadas.

O professor, coreógrafo e fisioterapeuta, Ivaldo Bertazzo inclui em suas práticas posturais o delicioso hábito de escovar a pele. Com esse método de rejuvenecimento, o sistema nervoso e os sentidos ficam mais apurados, com menos descarga emocional do estresse. Isso porque as práticas do trato com a pele mexem com a ampliação da respiração.

E a respiração livre de tensões é um passo bem sucedido no tratamento de fisioterapia postural. Por isso da importância de indicar práticas de auto cuidado.

As zonas erógenas são regiões importantes no processo de cura. Toques sutis e reta intenção são poderosas atitudes auto terapêuticas, na criação do hábito diário de se querer bem.

A imagem Pietá, de Michelangelo foi escolhida por sua história e pela postura de Maria. Maria acolhe seu filho sobre as coxas e braços, da mesma forma quando ela o segurou quando o pariu. Um ato erótico, como toda a vida é.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

HORÁRIO DE VERÃO - ESTRESSE X SONO

Todos os anos, os cientistas discutem o assunto para saber quais seriam as dificuldades biológicas do organismo na alteração de uma hora nas atividades diárias.
Desde 1932, o governo brasileiro adotou o horário de verão sob influência de outros países europeus. Do terceiro domingo do mês de outubro até o segundo domingo de fevereiro, adiantar o relógio tem sido uma forma revolucionária de economizar energia elétrica nos horários de pico nos dias mais longos.

O Sol, nesse período primavera-verão, se põe mais cedo. Com o adiantamento do relógio industrial em uma hora, o governo espera diminuir em 1% o consumo nacional de energia. Estudo este, baseado no consumo elétrico habitacional.

Porém, ao contrário do que se pensa, o horário de verão é o símbolo de uma sociedade industrial poluidora, consumista, e que não se importa, com veemência, com a preservação dos recursos naturais e das condições de vida das gerações futuras.

Aceitar o horário de verão não muda nada em relação a utilização correta dos recursos naturais. Somente mantém o mesmo caos em que vivemos nos centros urbanos.

Enquanto pouco se faz em prol da preservação, os recurso naturais vão sendo esgotados. Isso vale também aos recursos naturais do próprio organismo humano. O organismo também perde seu potencial de cura e equilíbrio quando na alteração do ciclo do sono-vigília ligado ao Sol.

Com o discurso de que o horário de verão serve para economizar energia elétrica nos dias mais longos, ambientalistas acreditam que alterar a hora é a melhor saída para o planeta. Essa era uma realidade do começo do século XX, em Portugal, quando realmente não havia tecnologia a altura para a demanda do consumo de energia das grandes cidades.

Em contrapartida, o que realmente ocorre nos dias de hoje é um maior consumo da saúde porque contribui para o aumento de estresse e falta de um sono reparador.

O alerta é para pessoas que vivem diariamente o estresse a flor da pele. Uma noite mal dormida, o que não é raro no meio urbano, para quem acorda cedo, pode ser fatal.
Por exemplo, quem acorda cedo, pela manhã, às seis horas, no horário de verão estará acordando antes dos primeiros raios do Sol. O relógio biológico trabalha junto aos raios azuis do Sol. A glândula pineal, responsável pelo ciclo de sono-vigília, sem os raios azuis do Sol, não libera melatonina para a corrente sanguínea. Este é um hormônio que desperta o corpo à partir da luz azul do sol.
Acordar antes da liberação da melatonia seria semelhante à retirada de um celular da tomada, antes da recarga completa da bateria.

Conheci diversos casos de jovens acometidos por infarto fulminante em decorrência da falta de sono. O estresse mal administrado somado a uma péssima qualidade de sono é um veneno mortal para a saúde.
O horário de verão, no meu ponto de vista, é prejudicial, arcaico, anacrônico, de um comportamento não cidadão e de atitude nada profícua para com a sociedade. Mas enquanto não houver a tal eco transformação na utilização dos recursos naturais, parece que o horário de verão ainda é a melhor saída.
E, agora vou dormir, senão não acordo amanhã para trabalhar... cedo!




quarta-feira, 13 de outubro de 2010

QUEM CONSEGUE ENXERGAR A SUA PRÓPRIA COLUNA?

A resposta é óbvia: ninguém. Ninguém é capaz de enxergar sua própria coluna, com os olhos. Pô, mas que contrasenso! No cérebro, 80% da massa encefálica é responsável pelos milhares de movimentos do corpo. E 99,9% dos movimentos são guiados pela visão. Então como podemos mexer a coluna se não a vemos?
A resposta comum: não a mexemos!
A resposta supra comum: propriocepção.

Mexer a coluna depende de propriocepção. É ela quem dá noção de movimento no espaço, sem necessidade do olhar com os olhos. É um outro olhar. Um sexto sentido do olhar.
Quem cultiva o hábito de se auto massagear, ou a receber de um fisioterapeuta uma boa e reconfortante massagem proprioceptiva de coluna, sabe como e quando usá-la e movimentá-la. Nos exercícios posturais, ou nas terapêuticas manuais, a sensibilidade proprioceptiva da coluna aumenta gradualmete.

A vantagem de se ter consciência proprioceptiva de coluna está na prevenção de lesões, melhora na condição do líquido raquidiano. E tudo isso é sinônimo de qualidade de sono e bem estar ao longo da vida.

QUEM SOU EU? EM NÃO SABENDO A RESPOSTA, O QUE ESTOU PERDENDO OU GANHANDO DE MAIS?

Posturalmente falando, o tema faz todo o sentido uma vez que se faz necessário o conhecimento prévio de si para atingir o sucesso e a felicidade almejados.

"Quem sou eu?" é uma pergunta que todo ser humano faz numa certa etapa de vida. Nada tem a ver com o quem sou eu personalidade. Esta é uma pergunta para a individualidade do ser. O que confunde um pouco a cabeça é saber para qual sujeito essa pergunta é feita.

Em mim, sinto eu mesmo. Mas não é verdade dizer que eu mesmo, dentro de mim, não seja dois. Às vezes três. Há quem diga infinitos.
Segundo os grandes pensadores, por detrás do pensamento dessa pergunta de "Quem sou eu?" está não mais do que um ser. E esse ser testemunha a vida pelos veículos físicos.

Por outro lado, não saber da resposta implicaria em viver na ignorância de si mesmo.
Viver na ignorância de si mesmo é o mesmo que deixar de lado o conhecimento.
De modo paradoxal, ao tomar conhecimento de si mesmo e reconhecer-se como testemunha, ao invés de receber ganhos, ganha-se muitas perdas.
No auto caminho do conhecimento, o trilhar exige o desprendimento de certos caprichos incorporados ao longa da vida.

Nossa sociedade busca o conforto, o prazer, a segurança, o apego material. Mas também aqueles que cultivam o apego espiritual. Tanto um, o materialista, quanto o outro, o cético, ao ingressarem no mundo interior do auto conhecimento se vêem obrigados a abandonar velhos hábitos já desgastados pela rotina.

A perda então, é algo desejável na trilha do auto conhecimento. O ganho, abominável. Porque esse é o paradoxo.
Quem sou eu está do ponto de vista de quem não pertence ao mundo, mas entra em comunhão com ele. Aqui está o antídoto do sucesso e da felicidade. Saber que toda a experiência é cabível, por pior que seja sua cicatriz ou sua luminosidade.


terça-feira, 5 de outubro de 2010

ARTES MARCIAIS E RESPIRAÇÃO

No oriente, desde tempos imemoriais, os praticantes de Kung Fu eram orientados pelos seus mestres à praticar as respirações e meditações do Yoga. Yoga e Kung Fu sempre foram ligados.
Junto à expansão da China pela Índia, mestres das artes marciais vieram para o ocidente, à fim de disseminar os conhecimentos e práticas milenares passados de gerações à gerações.

Na América do Norte, o Kung Fu chegou primeiro, mesclado com prática de yoga e meditação. Mas estas práticas ficavam, e ficam, reservadas para poucos, àqueles que se propuseram atingir um conhecimento das leis naturais do universo.

Meditação e respiração sempre fizeram parte das artes marciais.

Da mesmo forma, o yoga também aderiu às práticas do Kung Fu. Repetições constantes de movimentos, como na seqüência da saudação ao sol, foram inspiradas num conceito de aprendizagem Zen. Quando se repete o movimento várias vezes naquele mesmo momento, a musculatura se torna mais treinada e forte. O corpo fica musculoso sem aparentar ser.
Esse é um treinamento do Kung Fu, que nos ensinamentos de Pantânjali não há. Mesmo porquê não é tão importante pra o objetivo final do yoga, ao trilhar o Sadhana.

Contudo, hoje em dia é de grande valia, haja vista o sedentarismo e a falta de compromisso com a saúde e o auto conhecimento.




RESPIRAÇÃO, ATIVIDADES DIÁRIAS E PUNHOS

A respiração reproduz um movimento de expansão e contração no corpo todo. Este movimento reorganiza a postura bípede, alivia a compresão da gravidade sobre a coluna e lava o sangue do gás carbônico.

Nas ciências médicas orientais outra qualidade à respiração é atribuída: o da obtenção de uma energia luminosa, vinda do Sol e das estrelas. Essa energia luminosa é considerada vital, ou seja que não haveria vida sem ela. O oxigênio fica em segundo plano. Esse é um assunto que irei aprofundar nos próximos textos deste blog.

Então, além de reorganizar a postura, e reequilibrar o organismo, a respiração também participa da revitalização do corpo. Isso é imprescindível para a cura de disfunções e dores de punho nas atividades diárias do uso das mãos.

Hoje entende-se que tendinite é um termo inadequado. No punho o grande número de tendões, ligamentos e articulações menores, extremamente usados para todo tipo de atividades ficam sem lubrifiação, o oposto de uma imflamação. O termo "ite" significa inflamação. E, no punho, ocorre uma falta de fluidos por excesso de movimentos e má postura, conseqüência de uma respiração curta.

O termo correto é tendinopatia. A utilização das mãos sem uma expansão da respiração causam danos tendinopáticos, em que os tendões entram num super aquecimento devido a descarga bioelétrica dos nervos para geração de movimento. Dessa forma, os tendões ficam esgarçados. As pontas do esgarço geram dores e limitações de movimento.

Desligar este sistema bioelétrico e "pentear" os tendões são sinônimos de uma atitude respiratória aprofundada. Respirar fundo é inspirar e expirar de forma constante e regular. Alongamentos da respiração associados a alongamentos do tronco e membros previnem e tratam as tendinopatias.

Para vivenciar a prática dessa proposta liguem no celular 5511 83778820, enquanto não disponibilizo as fotos aqui no blog.
Até mais!


sexta-feira, 1 de outubro de 2010

LÁGRIMAS X CATARRO

O ser humano possui forças para bloquear um bom e gostoso choro.

Este bloqueio pode vir a causar uma série de efeitos inflamatórios cujo resultado é o catarro.

Há também o choro sem lágrimas. Este, fruto da insegurança e da baixo auto estima, traz outros processos inflamatórios um pouco piores como às demências.

Fingir um choro pode levar a demência.
Esconder um choro pode ser a gota d'água.

Por outro lado o catarro é a expressão do choro mal chorado ou bloqueado.

Conviver com o nariz em renite e sinusite vem pelo fato de se ter arestas ou rusgas nas relações com pessoas próximas do trabalho, em casa, na vida.

O ato de doar-se pode vir a libertar aquele choro tão esperado.

Muitas pessoas fazem terapias por dez, quinze anos. Tudo para poder justificar a incapacidade de se entregar ao outro. Somos perfeitos do jeito que somos. E preconceitos e convencimentos não são páreos para os mistérios da auto doação.

NOVAS E BOAS COISAS ESTÃO CHEGANDO

Desapego ao passado, não perseguir quem se afasta de você, deixar partir, abrir-se para o novo. Essas são primícias da personalidade e instrumentos do intelecto.

A viagem do pensamento que vai do presente para o passado, do passado para o futuro, e de volta para o presente, também viaja no aqui e agora, no já, na fração de segundo, no instante de tempo.

Todo esse movimento do pensamento é guiado pelo intelecto, e testemunhado pela consciência. A consciência que se situa por detrás do intelecto do corpo.

A consciência só vive no presente. Mas o intelecto, no anseio de ser consciente, esquece que é da consciência a qualidade consciente do corpo. Ele, o intelecto, que é também o corpo, dá qualidade ao raciocínio e agilidade analítica aos movimentos, ganhando com isso consciência.

A postura e a consciência têm íntima ligação.
A consciência é aquela testemunha que paradoxalmente se utiliza dos veículos dos sentidos.
Os veículos dos sentidos são o intelecto, o eu, os cinco sentidos, e outros sentidos, um sexto, sétimo, oitavo, nono,...

Toda a consciência da postura implica em estar atento, em primeiro lugar na respiração, depois no apoio dos pés, e em seguida na sensação de estar entre o céu e a terra.
Assim, a consciência se destaca. Assim nos tornamos, compassivos, pacientes, integrados, ampliados, expandidos!

Compassivo: compadecido, sensível ao mal alheio, que indica compaixão.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

DO SEGUIR A TRILHA AO PIONEIRISMO

Não são raras as vezes na vida que nos encontramos em certa encruzilhadas, com a mente e as emoções paradas, indecisas e com estagnação de energia do movimento.
Tomar a decisão correta nem sempre parece uma missão segura e confortável. Nas tensões do corpo e da respiração, perduram desequilibrios e dificuldades em escolher ou sentir o caminho a percorrer.

O problema é que a cada encruzilhada transcendida antecede outras encruzilhadas, e com maior altura à frente. E então, chega determinado momento que ocorre uma sucessão de repetições de padrões nas trilhas percorridas, ao longo dos anos de vida. A religião é um exemplo de repetição, girando em circulos os assuntos do ser humano. Seria correto reformular a resposta à pergunta, o que é o ser humano?

Uns conservacionistas, outros pioneiros. Os que preparam os resultados futuros, esses abrem caminho, cravam o piquete na terra e deixam o rastro de suas ações pioneiras.

Ao estudar o traçado de uma estrada, nota-se uma tendência das pessoas escolherem sempre o mesmo caminho. E, poucos escolhem os caminhos menos percorridos. E por quê esses poucos, percorrem o mato cerrado e alto, sem saberem antes a direção e aonde vão dar? Porque apenas seguem, acreditando em si mesmos.
Acreditar em si mesmo, é também um caminho, que depende de atitude e austeridade para trilhá-lo.

Austeridade: Na língua Portuguesa significa o cuidado escrupuloso em não se deixar dominar pelo que agrada aos sentidos ou deleita a concupiscência. Melhor dizendo, segurar a onda do apetite sexual!
Em sânscrito, o significado vai além. Tapas, ou austeridade é o fenômeno adquirido da prática austera de sublimar as energias pessoais para tranformar aquilo que está ruim ou indesejável dentro de si. Sacô?!
Até mais!
.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

CONTROLE X SENSIBILIDADE

No fim de semana passado viajei com meus filhos e esposa para Piracaia, num encontro de educadores voltado para um tema muito interessante: a educação não violenta.

Os ensinamentos foram bastante profundos e o que mais me chamou atenção foi a veia escolhida para demonstrar na prática, o ensinamento.
A relação do controle de uma situação, e do não controle, e também o não descontrole, mas uma sensibilidade, a partir de uma certa observação, foi demonstrado aos moldes do grandes mestres yogues do século vinte. Krishnamurti, Sivananda, Yogananda já haviam trazido esses ensinamentos, e o mais impressionante é que se disseminou em diversas áreas do conhecimento.

Em fisioterapia, uma terapêutica em cima desses ensinamentos se torna uma chave mestra para diversos momentos da vida cotidiana. Por exemplo um prática postural ou outra qualquer como de academias trabalham o corpo de modo a eliminar as tensões de um corpo bípede. Sabe-se que a gravidade achata a coluna vertebral e o tronco. Assim o ser humano é fadado à exercitar-se a vida toda.

Mas por outro lado tenho percebido que não basta só se exercitar .

Não são raras as vezes na vida que nos encontramos em certa encruzilhadas com a mente e as emoções paradas. Tomar a decisão parece uma missão difícil e complicada.
Mas quando se estabelece contato com um centro interno, e a partir dele toma-se a decisão, não há o que temer.

O problema é que a cada encruzilhada transcendida, outras encruzilhadas virão pela frente e com maior altura. E maior será a exigência da vida em superação e concentração. Nessa hora, controle não é a solução. Segundo o ensinamento, é preciso ampliar a sensibilidade, a respiração e a observação para honestamente ser aquilo que se sente e faz.


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

CONCILIAR UMA VIDA SAUDÁVEL COM UMA VIDA DIVERTIDA

Muitos praticantes de academias de musculação, academias de yoga, tai chi, kung fu, praticam com seriedade e afinco as técnicas e seqüências de movimentos.
Com o objetivo de se tornarem fortes, robustos, ágeis e confiantes, está escondido um pensamento um tanto tacanho por trás de todo esse esforço técnico: o da hipertrofia.
Muitas vezes este pensamento se tornar tão forte que a diversão fica esquecida.

Lembro de um ensinamento que me foi passado na adolecência durante as práticas de àsanas no raja yoga. O ensinamento era o de fotalecer a mente e o corpo com serenidade sem desejar a hipertrofia.
A hipertrofia acaba com o pensar em se divertir. O negócio fica sério demais e acaba sendo um esforço muito grande para os órgãos e para própria psique. Um corpo rígido e visivelmente musculoso retira a capacidade de estabelecer contato com essa relação da saúde e da diversão.

Por outro lado fortalecer o corpo implica em ser flexivel, equilibrado, forte (não hipertrofiado), alongado, resistente, com respiração ampla e postura serena. Divertir-se durante uma prática física ou exercícios posturais específicos é sinônimo de sorrir.

O sorriso é uma atitude importante para o bem estar. O olhar para vida com diversão é um elixir da felicidade.

Diversão é a arte de rir de si mesmo. Aceitar os limites, os defeitos ou aparências do corpo.

Segundo os Zen Budistas, o sorriso aniquila todo mal que venha adoecer o ser e o corpo. E não poderia ser diferente. O riso de sua própria mediocridade eleva a consciência a níveis superiores as da emoção. Um sentimento que ao ser despertado torna-se até curador.

Minha amiga Ana Thomaz, no seu blog vida ativa posta no título uma frase incrívemente curadora: Só se melhora o que está bom. O que está ruim tem que transmutar. E é justamente essa, a atitude de sorrir. O sorriso elimina diversas tensões e desperta para novas experiências de vida.

Por isso seja qual for a atividade física, sorria. Isso pode vir a se tornar uma simulação de uma postura de sorrir noutras situações como diante da vergonha, do medo, da incompreensão. É uma arte.
Rir de si mesmo ao mexer o corpo vem a tona toda tensão e emoções paradas. Nessa leitura de si mesmo durante o exercício, o que deve ser feito?

Sorrir, respirar e se amar! Boa prática!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

SERENIDADE E SINCERIDADE

A tradição da sociedade consolidou regras de etiqueta convencionadas para ajudar o relacionamento entre as pessoas. Ligado à cortesia, o conceito de etiqueta vai além, sendo uma forma da pessoa que pratica determinado código de etiqueta demonstrar esta cortesia, bem como boas-maneiras.


Por outro lado, o comportamento humano não é universal e o choque de expectativas numa sociedade pluralista, multiétnica, aponta que cada grupo tem sua forma peculiar de demonstrar esses sentimentos. O melhor caminho seria respeitar as diferenças, apesar dos especialistas em etiqueta entenderem que os conceitos de educação e respeito sejam universais.

"A etiqueta enquanto regra, situa-se exclusivamente no campo moral, não sendo regulada por leis ou decretos, sendo às infrações a determinado código de etiqueta punidas apenas no âmbito social".

Toda essa tensão que se estende em outros níveis mais específicos da sociedade, se confundem com a necessidade de expressar aquilo que se pensa.

Quando levado ao pé da letra, as regras de conduta tornam-se um bloqueio à serenidade e sinceridade tornando-se angustia, pavor, pânico, um auto sufocar. Não somente como fatores puramente psicológicos, mas manifestações físicas, posturais. A respiração é o principal foco desse auto sufoco. Auto sufocar-se em detrimento das regras de conduta é um erro mortal.

E aquilo que antes serviria para melhora do relacionamento social torna-se um entrave.
Ouvi uma vez Gaiarsa dizer: - "Aprenda as regras, e depois de assimiladas e compreendidas, esqueça-as".
E respire fundo. Aceitar as diferenças é mais que silenciar a voz, é aceitar no pensamento o outro, sem querer convencer ou transpor sua verdade.

domingo, 19 de setembro de 2010

POSIÇÃO PARA DORMIR: EXISTE UMA CORRETA?

Ouvi de varias pessoas que a melhor posição para se dormir é a de lado. Mas pra qual lado? Há diferenças entre um lado e outro?
No olhar técnico, a melhor posição é a de decúbito dorsal, barriga para cima, sem travesseiro na cabeça. Isso porque mantém o coração relaxado com menor superfície de contato, sem gerar disfunções de outros órgãos.

Mas dormir de lado também é bom. Com tanto que seja para lado direito. Dormir em cima do lado direito não atrapalha tanto o funcionamento dos pulmões quanto o lado esquerdo. A anatomia dos brônquios é a causa desse fenômeno.

A entrada de ar acontece primeiro no pulmão direito e, em seguida, no pulmão esquerdo. O pulmão direito assemelha-se mais a um barril. O esquerdo a um filão.
Ao virar para a esquerda, o pulmão esquerdo, que já não recebe tanto ar quanto realmente precisa no dia-adia, fica amassado com o peso do coração e principalmente com o peso do fígado, um gigante dos órgãos.

Virar para a direita faz o fígado cair na cama, e por isso não obstrui o pulmão direito, que ventila melhor o ar por sua anatomia, mesmo deitado sobre ele.
Deitar para esquerda, sobre o pulmão esquerdo, diminue a quantidade de oxigênio para os tecidos e para o cérebro, levando a um desmaio e não a um sono.
É tão real isso que existem relatos falando que virar para esquerda de manha bem cedo, um pouco antes do horário de levantar, faz perder a hora. Os cinco minutinhos viram quarenta!

Se de manhã você resolve dar aqueles cinco minutinhos na cama após o despertador opte por deitar de barriga pra cima. Assim você não desmaia e não perde a hora!

Deu pra sacar? Aceito críticas e perguntas!

Ouvi dizer também de uma amiga, diretora de teatro e dança, que não existe posição correta para dormir, com tanto que se exercite diariamente o corpo com exercícios posturais e respiratórios.
Eu, assumo todas as práticas de sono. Às vezes, dar uma desmaiada é a solução!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

DORES, VIDAS PASSADAS, FISIOTERAPIA E ESPIRITUALIDADE

A regressão de vidas passadas é um assunto muito extenso no qual não vou entrar em questão. A questão que realmente me pega como profissional da saúde é: Existe realmente uma relação direta com a dor e as experiências de vidas passadas?

Em clínica pude notar algumas relações da dor pouco ligadas ao quadro clínico. Dores que persistem por muito anos.
Em anamnese muito de tudo isso pode ficar escondido.
Alguns sensitivos, médiuns que conheço, falam sobre o assunto com bastante consistência e lógica. Eu tenho compartilhado das idéias mas pouco exercido de fato o ato mediúnico nas sessões de fisioterapia. Mas sei quando o assunto é para ser encaminhado para um médium.

Algumas pessoas, auxiliadas por um médium, relatam ter desaparecido a dor após terem tido consciência de uma vida passada. Ou duas. O fato é que alguma relação física deve existir na alteração postural, da contração dos músculos e nervos. A circulação do sangue pelas artérias também está envolvida, bem como todo o organismo e vísceras do corpo.

Uma parte do corpo onde há dor não é isolada de todo o resto, e o tratamento deve ter mais que uma visão global e holística, deve incluir uma visão também tão ampla quanto a espiritualidade.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

PERDENDO GORDURINHAS

Não há dúvida em relação a isso: segurar a boca ajuda muito. Só que mais que segurar a boca na alimentação é a qualidade do alimento ingerido.
Agora, mais do que a qualidade do alimento ingerido é a qualidade da mastigação. E mais que a qualidade da mastigação é a qualidade do sono.
E sabe de uma coisa? Melhor ainda que tudo isso é caminhar, respirar e amar si mesmo.
Pensou que eu fosse falar malhar, não é?

Pois é, a malhação pode te ajudar bastante com isso. Mas conheço uma série de pessoas malhadas sem resistência, sem endurance. O endurance é o aprimoramento da força muscular e da resistência, com programas de exercícios planejados, treinamento com pesos e flexibilidade. Malhar não elimina o estresse de uma vida desregrada. Gordura em excesso nunca foi desejado. Sobrecarrega órgãos como coração, o fígado, e quando atinge um nível perigoso, os rins e as artérias.

Grande parte do acúmulo de gorduras no organismo tem origem numa vida desregrada. De forma silenciosa, o fígado começa a estocar energia em forma de gordura. Alguns hábito nocivos como pouca ingestão de água, sono ruim, uso de energéticos e açúcar refinado são prejudiciais à saúde e à longevidade. Grande parte do acúmulo de gorduras no organismo tem origem numa vida desregrada e cheia de medos.

É certo dizer que o medo, no esporte ou na atividade física, é o que impõe limite do treinamento. Sem o medo, certos limites podem ser fatais.
Continuo convencido de que prática de caminhada, respiração e meditação, bem como amar a si mesmo são antídotos, tanto à pessoa comum como para o atleta.

Devemos cuidar para nos manter saudáveis. Saúde implica uma série de auto cuidados principalmente para atletas e esportistas. Estas três práticas propostas aqui, ainda muito pouco praticadas ou conhecidas, são imprescindíveis para qualquer superação de limites, em diversos casos. Neste caso, gordurinhas.

Não estou falando só de perda estética das gordurinhas, mas num movimento real de descoberta do amor a si mesmo. E respirar é o canal desse aprendizado.

Respirar elimina esse processo de estoque de energia porque lava o sangue com oxigênio, reequilibrando o sistema glandular das supra-renais, tálamo e hipotálamo. Amar a si mesmo eleva as defesas do organismo e melhora o humor.

E outra coisa: respirar bem implica em saber meditar e em saber ouvir a respiração natural na movimentação do corpo.
Não é somente puxar o ar com vigor. E muito menos saber soltar o ar. Muito menos ser um perfeccionista em técnicas de retenção dos intervalos da respiração e demais bandhas... Tudo isso é técnica, e deve ser trabalhada até ser conhecida por completo. Depois, deve ser abandonada porque, segundo o Gaiarsa, todo o movimento repetitivo é prejudicial à saúde. Pode ser uma faca de dois gumes se praticado ao pé da letra. Respirar bem implica em muito mais que tudo isso.

Um programa que seja realmente completo deve ser levado ao máximo da complexidade humana, para então ser uma forma de auto cuidado e auto terapia. Por isso acho que a perda de gorduras nada tem a ver com as gorduras em si mas com o modo de se trabalhar o corpo.

domingo, 5 de setembro de 2010

MORTE X DOENÇA

Na nossa sociedade brasileira existe diversas visões sobre o leito de morte. A mais comum dentre todas é aquela herdada do povo europeu, que atrela as doenças à morte.

Crer que a morte é o resultado final da doença traz embutido um medo, que nos faz perder, em sentimento, as diversas outras facetas que a morte pode ter.

Já ouvi dizer que não se fala de morte até que alguém muito próximo seja pego por ela.
Alguns pensamentos previsíveis vem a tona nesse momento. Pensar que a morte é triste e horrível condiz com a visão de que só se morre doente.

Outra visão um tanto tacanha é a dos chamados pacientes terminais. Essa é a mais absurda porque, afinal somos todos pacientes terminais, não?
Focar na doença ao invés de valorizar as forças que possui é um paradigma social já presente em nossas raízes culturais.

Focar no reequilíbrio e não na doença é uma mudança de paradigma. Quando você foca nas forças que possui e não nas que perdeu o organismo reage de maneira superlativa.
Tudo parece que está na maneira com que se olha para situação.

Diversos desequilíbrios posturais também são assim. O desafio de reequilibrar a postura é também uma simulação das dificuldades da vida, só que vivido em um curto espaço de tempo. O veículo para este sentimento é a respiração.

sábado, 4 de setembro de 2010

CIRURGIA DE JOELHOS X PROPRIOCEPÇÃO

Hoje em dia muitas pessoas estão passando por cirurgia de menisco e ligamentos.
Essas lesões são de diversas origens: excesso de peso, má postura, lesões do desporto, principalmente do futebol, sedentarismo ou tudo junto, no caso de esportistas de final de semana.
A fisioterapia é fundamental na reabilitação dos movimentos. Mas após a reabilitação o tratamento deve entrar em vigor.

O que tratar depois de reabilitar?

Devemos antes conceitualizar tratamento para a fisioterapia, que difere do conceito médico. Tratar para um médico implica em medicar, excluindo todos os fatores de risco relacionados a doença, onde o melhor momento para se tratar é a crise.

Na crise a fisioterapia reabilita e o tratamento vem em seguida. Tratar envolve acompanhamento quase que diário, traçar um programa personalizado de novos hábitos posturais, onde o treinamento postural se estende ao longo de pelo menos três meses.
Assim, criar este hábito no paciente de modo que a presença do fisioterapeuta passe a ser cada vez menor.

O maior problema está naquele que passou por uma cirurgia de joelho, e não atende ao desenvolvimento proprioceptivo nas atividades físicas.

Segundo José Ângelo Gaiarsa a propriocepção é um sexto sentido. Desenvolvê-la envolve sentir e movimentar o corpo no espaço, mesmo de olhos fechados.

Isso porque 80% do cérebro está encarregado dos movimentos. E 99% dessa área é comandada pela visão. Desenvolver a propriocepção é o mesmo que um sexto sentido, porque outros potenciais cerebrais estão envolvidos na ação.

Tomar consciência de cada ângulo de movimento, da respiração e da postura é a própria fisioterapia postural. Muito mais que prevenção, ela significa um trabalho persistente de exercícios posturais, o que a maioria das pessoas acabam, de modo equivocado, deixando de lado.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

A MORTE PEDE PASSAGEM


O corpo e o cérebro são dotados de emoções. Essas emoções fazem parte de todo o organismo, mesmo na parte cerebral ligada ao raciocínio.

O raciocínio, que representa 20% de toda massa cerebral, é parte da mente.
Os 80% restantes são destinados aos movimentos, que também fazem parte da mente.

Os neurocientistas sabem que as emoções interferem na qualidade do pensamento.
O pensamento não está somente em 20% da área destinada à razão, mas está também espalhado por toda a massa encefálica e corporal.
Os chineses, com sua imensa sabedoria milenar, dizem que o pensamento brota do coração.

As emoções chegam a distorcer a mente em casos de grande estresse. E aqui surge nosso tema.
A mente é um conceito abstrato de inteligibilidade e comportamento.
Quando a mente se mancha de emoções, ocorre uma distorção de realidade.

O exemplo mais claro está na dicotomia do medo de morrer e do medo de morte.
O medo de morrer é um fenômeno puramente físico e inevitável.
O medo de morte está ligado às coisas naturais do organismo e do cotidiano da vida. A morte é uma experiência vivida a cada expiração. A sensação de morte se torna uma fantasia na presença de uma mente distorcida. Uma imagem conhecida por todos: a morte de capuz e foice! É distorção da realidade.

A emoção distorcida na mente é como aquarela no papel seco. Se espalha rápido e, com muitas cores juntas, resulta numa cor escura.

Nesse caso a emoção distorcida gera uma sensação irreal no corpo e na mente, o que faz com que o individuo mentalmente se comprometa com suas emoções, cultivando preocupações, angústias, pânico.

É de competência da respiração apaziguar a mente das emoções distorcidas. Ao longo de uma seqüencia de respirações o bloqueio do medo de morrer se distingue das experiências de morte. As práticas de exercícios respiratórios, assim como as ervas de poder, revelam uma real visão do estado mental das emoções.

A mente distorcida obscurece a visão e os movimentos. A respiração clareia. Com exercícios de respiração a mente começa a experimentar novas escolhas e decisões.

A morte, que constantemente pede passagem para se desprender de uma mente de emoções distorcidas, com exercícios de respiração se liberta.

Não havendo mais tal preocupação em relação à morte, o pedido de passagem deixa de ser da morte para se tornar um pedido de passagem pelos momentos da vida. Uma feliz clareza se revela nos reais momentos de uma mente limpa.
Que passemos bem pela vida. E que a morte seja a cada expiração.

sábado, 28 de agosto de 2010

O DE DENTRO, E O DE FORA.

Se fosse realmente verdade que não há no mundo uma grande mentira não seríamos tão desequilibrados com o meio ambiente como somos. Porque o meio ambiente é reflexo do que somos por dentro. E o que acontece dentro do ser humano?
A resposta é simples: o homem não pára para ouvir a si mesmo - o ser humano.

Ouvir a si mesmo é descobrir os movimentos naturais do organismo. E um dos mais importantes movimentos naturais do organismo é a Meditação.

Meditar de modo consciente é que o torna mais fortalecido e revigorado porque a meditação já ocorre naturalmente sem percebermos. Quando devaneamos por exemplo.
O devaneio é um estágio da meditação.

A fantasia não. A fantasia é um desejo guardado pela falta do movimento.
O devaneio é uma forma natural do cérebro armazenar e digerir experiências para se projetar aos tempos vindouros.

Bom, acredito que toda essa grande mentira no qual estamos todos inseridos é realmente uma verdade que incomoda. Então, como saber a melhor maneira de começar a arrumar a casa que vivemos, o planta Terra? Que tal começarmos por dentro primeiro? Daí o fora será conseqüência natural assim como o dentro o é.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

MEDITAÇÃO NO COTIDIANO

O texto a seguir foi escrito por mim sob influxo da meditação ativa. Portanto procurei postar do jeitinho que veio, duma vez! Aproveitem a leitura com uma trilha musical.
(clique "play" - Boa leitura e boa viajem!)
Serenidade. Compreensão. Imparcialidade. Elevação. Estas são algumas das mais belas qualidades da alma. Inatas, são reveladas no corpo físico, no cotidiano da vida, na mente e nas atitudes quando não há mais nenhuma expectativa de reconhecimento ou de espera de retribuição da tarefa realizada.

Quando a ação desinteressada for realizada sem apego aos resultados recebe-se em troca a recompensa inesperada: perdas.

"Percebe que em verdade nada faz, mas cumpre a sua tarefa sem sentir apego, e entrega os resultados ao Milagre da Vida, ao Universo". Essas revelações são aquelas cujo Santo diria serem divinas. O católico diria ser uma aquisição pela religião como doutrina. Muitos outros diriam "isso é só filosofia" como se ela não fosse aplicável, fosse distante e utópica a praticidade do cotidiano.

O maior desafio na meditação no cotidiano é a perda do medo. A perda de tudo que não faz enxergar a si mesmo. Porém aquele que desperta para tais qualidades e age sub seu influxo, e sabe, que ainda assim, são qualidades a serem transcendidas ao longo do caminho porque a percepção do medo também é uma ilusão.
Sugestão de leitura, o blog Vida Ativa de Ana Thomaz.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

MEDITAÇÃO

Meditar previne uma serie de doenças dos sistemas cardio-vascular e cardio-respiratório. Segundo estudos da UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo, problemas de ansiedade e distúrbios emocionais são tratados com auxílio da meditação.
Pesquisas feitas nos últimos 30 anos mostram uma baixa na hipertensão arterial dos pacientes submetidos a uma semana de meditações em retiro.
O hábito de meditar é muito antigo, associado principalmente à práticas religiosas tanto de orientais quanto de ocidentais. Essa longa tradição chega até nós como uma das práticas mais simples e eficientes de dar suporte à ansiedade, o stress e seus efeitos na nossa qualidade de vida. Hoje o grande desafio está em sustentar tal hábito nos centros urbanos, justamente aonde é mais necessária.

O que é meditação?

A Meditação é uma prática de Saúde e Qualidade de Vida que visa trazer o indivíduo para o momento presente. Consideramos a meditação uma qualidade do cérebro e uma função natural do organismo, como outras que visam eliminar toxinas e retomar o equilíbrio. Na prática meditativa são eliminados ruídos mentais de informações desnecessárias que consomem o foco mental, a atenção e a concentração. A prática constante de meditação dá qualidade às tarefas diárias e aumenta o poder de criar novas atitudes diante problemas e ameaças, entre outros inúmeros benefícios.

Com que freqüência a meditação é praticada?

Idealmente de 20 à 30 minutos diários, uma marca a ser alcançada paulatinamente. Depois de algumas semanas, praticando com orientação, é possível desenvolver uma habilidade de relaxar e se concentrar. É possível aprender a entrar em meditação em qualquer lugar, quando assim desejar. Em todos os locais que atuamos oferecemos oportunidades de praticar, abertos a interessados. Nosso propósito é compartilhar hábitos saudáveis de autoconhecimento e prevenção com clientes, parceiros e amigos, difundindo essa prática milenar.